quinta-feira, 4 de janeiro de 2007

Ééééééééééé o seguinte....

Voce ganha uma letra e tem que descrever 10 coisas (sentimentos, pessoas, idéias... o que for) que começem com a letra dada e que tenham um significado especial para voce.

Eu ganhei da Cara a letra "T", então lá vai:

É lógico que a primeira coisa em que pensei foi Tricô. Comecei a tricotar quando eu tinha uns 15 anos. Aprendi sozinha e a primeira coisa que eu fiz (quero dizer que eu tentei fazer) foi um pulover com uma lã buclê verde.... doce ilusão!!! Ficou horroroso, mas acredita que eu usava mesmo assim? É que eu adorava a cor! Hoje, fazer tricô me faz muito bem: pesquiso receitas, traduzo, experimento fios, invento, tricoto, desmancho, refaço, adapto... enfim, me divirto muito.





Tradução. Faz 26 anos que traduzo (francês e inglês). Eu tinha 18 anos e comecei a trabalhar como tradutora de francês... eu achava o máximo apesar do salário ser uma merreca. Agora, visualiza a cena: Tradutora de francês, 18 anos, se achando o máximo com seu pulôver verde de lã buclê com 3 anos de uso! Desde então paguei muita conta, comprei muita coisa com dinheiro ganho com tradução.

Tingir o cabelo. Não tinjo mais. Precisei de muita coragem para decidir, afinal, todo mundo tinge o cabelo, ninguém quer cabelo branco, cabelo branco denuncia a idade, cabelo branco está associado a relaxo, descuido, blá, blá, blá. Mesmo assim deixei meu cabelo naturalmente grisalho. Me sinto melhor, mais feminina e mais bonita. O cabelo está incrivelmente sedoso, e passou para a categoria de "cabelo normal" ou seja, nem seco, nem oleoso... normal! (e eu que achava que só as crianças tinham o cabelo "normal"!). Para mim foi ótimo.


Temor. Medo - quem não tem? Já reparou como os medos vão mudando durante a vida? Quando eu era pequena tinha medo do monstro que morava embaixo da minha cama e que ia puxar o meu pé. Já tive muitos medos e o pior é que a maioria deles se tornaram realidade. De qualquer forma, sobrevivi, me adaptei, continuei em frente. Acho que o único medo (que tenho coragem de confessar hoje em dia) é medo de morcego. UGH!







Tempero. Aprendi a conhecer diferentes temperos com o Helio, ele faz uma alquimia com os condimentos e azeite que fica uma delícia (já disse que ele cozinha muito bem?) . E ele sabe lidar com todos eles: cebola, alho, coentro, pimenta, açafrão, curry, cominho, mostarda, páprica, sal, louro, manjericão, estragão, gengibre, tomilho, sálvia, salsinha e tantos outros. Além disso, ele é o tempero especial da minha vida.




Terra Natal. Ô delícia de terra! É prá onde eu gosto de ir: tem o ar que eu gosto de respirar, a paisagem que eu gosto de ver, o vento que eu gosto de sentir. Aqui em casa a gente costuma dizer que é o Centro do Universo (do nosso).
É Santos.








Teimosia. Peralá, não é que eu seja teimosa - é que enquanto eu acho que tem uma chance de algo dar certo, umazinha só, eu continuo tentando.

Tempo. Acredite se quiser, estou sem tempo de escrever sobre isso.








Trama. O enredo, o que liga a vida das pessoas, o que faz as histórias e influencia a nossa vida.
A trama de bons livros como Incidente em Antares ou O Senhor Embaixador, ambos de Érico Veríssimo, é instigante, leva a pensar. Foi a trama de filmes como A Cor Púrpura e Zelig, que me deu a exata noção da importância que eu (não) tenho. Além, é claro, da trama do tricô, ah! isso me fascina! A forma como o trabalho das agulhas sobre o fio cria a trama que prende o olhar da gente, atrai as mãos, atiça a criatividade..!
O último projeto que fiz em 2006 foi esta bolsa (veja no post do dia 2 de janeiro - em verde), mais uma vez fui vítima da trama que dá um comichão de pegar nas agulhas e sair fazendo nozinhos até ficar igual.




T.P.M. Tem que tratar e tem cura! Se eu soubesse que existia vida sem TPM, já tinha me tratado antes - quando eu penso o quanto eu perdi, quanto eu me maltratei, maltratei outras pessoas, sofri... tudo à toa! Tudo por causa de desequilíbrio hormonal. Tão simples, tão fácil de solucionar! É um alívio muito grande saber que não serei vítima de mim mesma, que não vou ficar vulnerável, e que eu estou no controle da minha vida, não os hormônios ou o que quer que seja.

Quer uma letra? Deixe um comentário (com o seu email) que eu mando uma letra para você.

6 comentários:

sandy disse...

claudia voçe voltou .. ha dias que nao passava por aqui.. e agora deparo me com isto.. beijos ja tinha saudades das suas postagens...
passa la no meu blog...
beijos da sandy

Solange disse...

Claudia, eu quero uma letra! (Ando meio sem inspiração com o blog :D)
E adorei saber que não sou só eu que penso em não tingir as melenas. Ainda não tenho muitos fios grisalhos, por enquanto tapeio com henna, mas quando a coisa ficar preta (ou branca), pretendo assumir mesmo...

Beijocas

Anônimo disse...

eita!!! bom... adoro seu blog e sempre passo por aqui... nao sei pq até então nunca tinha te postado nada... tb tenho um blog, mas ainda nao tive coragem de postar as coisas que eu fiz não... quem sabe nao crio um espaço lá dentro do blog com as minhas "artes".... bom... é isso aí!! gostaria que vc me mandasse uma letra tb!! vamos brincar..... depois dê uma passeadinha pelo meu blog que lá eu conto um pouco (um monte!!) de mim mesma e do meu mundo... tem fotos e outras coisinhas... depois eu volto com mais calma... beijinhos Babi

p.s.: nao to conseguindo postar com meu login , então... o end do blog é esse aqui ó: www.babibbzinha.blogspot.com

Claudia disse...

Babi,
Sua letra é: P

beijo,
Claudia (vou passar lá no blog para conferir... ;D)

Mara disse...

Claudia vc. não tem estas receitas traduzidas ?
Gostei muito do Chale e da faixa...para fazer para as netas, filha e noras.
e-mail: myotasseAyahoo.com.br
Parabénssssssssss.

Mara disse...

Correção

e-mail:myotasse@yahoo.com.br